Sim, porque não será extenso; não haverá lugar para vazios.
As palavras aqui ocuparão parte do espaço: algumas gavetas,
geladeira, a cima das mesas, parte do armário do banheiro...
Mas não todo o imóvel.
A outra parte será destinada a quem desejar visitá-lo, tomar
por empréstimo alguns vocábulos moldá-los, ou mesmo senti-los.
Não será necessário bater a porta sempre que se desejar entrar,
se a causa for justa e as palavras respeitadas,os visitantes serão
sempre bem vindos.
Caso deseje deixar de lembrança alguns termos poucos ou muitos
não se preocupe com a disponibilidade de espaço,
o compactoimóvel só estará completo para aquele que não
gostar do aroma da torta de morango no forno, das rosas na
janela ou mesmo para quem se sinta grande demais
a ponto de não caber em seus cômodos.

Todos os demais,
sejam bem vindos.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Máscaras em conflito

A inspiração vem de onde não deve, mas de onde mesmo deve vir?
Se sentimentos alfloram em cascata e escorregam pelos pulsos, chegam as mãos,
máscaras postas são ilusão;
quando se pode ver através 
do rosto escondido com lágrimas caindo
de ofegante respiração;
que deseja se guardar para um outro não ferir, 
sem saber está a demonstrar o que o próximo também sente
ou imagina sentir.
Mas falta a certeza e sobra o futuro
desenhado sabiamente por Quem pode garantir
que esse baile de fantasias sucumba 
reste apenas rostos, desescondidos da verdade
dispostos a amar, dispostos a saber
que no fim das contas, vale a pena desmascarado viver.